Carregando...
O crescimento da eletromobilidade no Brasil e no mundo
  • O crescimento da eletromobilidade no Brasil e no mundo

    Criado em 1997 na França e adotada em 2000 por vários países, o Dia Mundial sem Carro
    busca incentivar a reflexão sobre o uso excessivo do automóvel e a utilização de outros meios
    de transporte alternativos e que não poluam tanto o meio ambiente.
    Andar a pé nos grandes centros nem sempre é possível e todos nós conhecemos a realidade do
    transporte público no país, por isso em muitos casos o uso do carro se tornou essencial na vida
    das pessoas. Porém com a crescente preocupação com o futuro do planeta, atualmente há
    uma crescente procura por meios de transportes alternativos em especial os elétricos.
    De acordo com o Relatório Global sobre Veículos Elétricos (Global Electric Vechicle Outlook
    2017), divulgado pela Agência Internacional de Energia (IEA International Energy Agency), as
    vendas de carros elétricos obtiveram um novo recorde mundial em 2016, chegando a marca
    de 750 mil unidades vendidas.
    A “eletromobilidade” ainda pode ser um termo novo, mas sem dúvidas já vem ganhando
    espaço dentro do mercado automobilístico. Um bom exemplo disso ocorreu durante o Salão
    Internacional do Automóvel de Pequim 2018. A Volvo uma das maiores indústrias do setor
    lançou o novo XC40 T5, um automóvel hibrido do tipo plug-in, ou seja, um automóvel em que
    a bateria utilizada para alimentar o motor elétrico pode ser carregada diretamente na tomada.
    No Brasil, o tema mobilidade urbana está sempre em pauta, por isso mesmo que de maneira
    mais lenta quando comparado a outros países a eletromobilidade vem crescendo de forma
    gradativa por aqui. No dia 24 de abril de 2018, Prefeitura de São Paulo divulgou a versão
    finalizada dos editais de licitação que visam regular o sistema de transporte coletivo municipal
    da metrópole no futuro.
    Um dos destaques do conjunto de documentos liberados pela Secretaria de Transportes foram
    os cronogramas anuais de metas de corte de poluentes de transporte público ao longo de
    próximos 20 anos. Na prática isso significa que até o final do prazo toda a frota de ônibus
    (cerca de 14.400 unidades) será substituída por veículos elétricos e híbridos, ou movidos a
    outras tecnologias de energia renovável.
    Além de carros e ônibus movidos à eletricidade, outras opções de transportes alternativos
    elétricos são: bicicletas, patinetes, uniciclo e até mesmo o skate. O que se prova que
    tecnologias com a eletromobilidade já é uma tendência mundial. Tendência essa que será
    capaz de causar impactos positivos no uso eficiente da energia elétrica. E com isso, o
    profissional tanto da engenharia elétrica com a mecânica vão precisar estar atentos a essa
    nova realidade do mercado.
    Se você se interessa pelo tema e quer fazer parte dessa mudança venha estudar Engenharia
    Elétrica ou Mecânica na ESAMC.

Matérias Relacionadas
Receba por email