Carregando...

Gestão empresarial: tendências e novos modelos

As novas formas de consumo, de aprendizado e relacionamento, além da rapidez na informação e as mudanças econômicas têm sugerido uma transição urgente nos modelos de gestão empresarial. 

Sai de vez a estrutura industrial e entra em cena um modelo que tem o mix de  conhecimento, habilidades intelectuais e interpessoais como principal capital. 

Os resultados da adaptação do mercado a esta espécie de nova era são hierarquias mais horizontais, e que facilitam uma maior comunicação entre áreas e gestores. O foco no resultado, porém, continua sendo o resultado. 

Segundo Jair Ruzene, professor do Curso de Administração da ESAMC, as empresas finalmente entenderam que o resultado, ou seja, a solução, parte de quem trabalha diretamente, seja com uma marca, atendimento ou operação. 

"Antes os funcionários eram vistos como invisíveis, sem direito a opinião, enquanto gestores eram intocáveis. Não existia comunicação entre eles. Hoje, a nova geração de profissionais exige ser ouvido. E, mais do que isso, os gestores querem, ou pelo menos deveriam, ouvi-los", afirma.  "A comunicação horizontal facilita a comunicação entre as áreas e encurta o tempo entre problema e solução", completa. 

Neste novo modelo se destaca quem tem habilidades pessoais, como flexibilidade, comunicação, atividade, sobretudo, perfil de inovação. "Este é o perfil dessa nova geração que está chegando ao mercado. É um estilo que tem muito valor nas empresas", diz o professor.

Se o mercado mais agressivo e rápido é  terreno fértil para jovens gestores, os mais tradicionais tem o desafio de se adaptar. E as empresas, por sua vez, de unir e aproveitar as habilidades dos dois lados.

A gestão empresarial precisa de inovação 

"A inovação é o objetivo das empresas hoje. É palavra-chave da vez. E para inovar é preciso estar apto e disponível arriscar. A inovação, porém, não pode descaracterizar a tradição. Os casos que mostram resultados desastrosos em inovação aconteceram porque houve um descompasso entre manter a essência da empresa ou produto com a ideia”, explica Ruzene. 

Os gestores convencionais tendem a pensar mais, a ponderar. E os novos, arriscar. Unir as duas habilidades é resultado de sucesso para as empresas", afirma especialista. 

Apesar de toda a tecnologia, a criatividade e a flexibilidade são os grandes diferenciais que tanto fazem diferença nos novos modelos de gestão.  Mais do que pesquisas e fórmulas prontas, a tendência é valorizar o conhecimento de cada indivíduo que forma uma empresa.

Buscar novas alternativas na Administração de Empresas, uma das áreas mais tradicionais de todo o mercado, é um desafio que pode transformar o mundo da gestão. Se você quer um curso de administração que alia prática com inovação, venha para a ESAMC, uma universidade antenada nas novidades que o mercado oferece!